REFLEXÃO: A ORIGEM DAS NOSSAS DECEPÇÕES E FRUSTRAÇÕES


Quem dentre nós, gostaria de não ter decepções? Quantos de nós, vivem longas relações com frustrações por expectativas vãs? O que há por trás das maiores frustrações?

Temos aqui, uma questão de um milhão dólar: será que existe uma maneira de evitar ou lidar com frustrações, para que elas não afetem tanto? —, digo mais que isso: — penso que como somos cocriadores de realidades poderíamos viver em um mundo novo a cada dia, onde, as adversidades não causariam tantas aflições na alma, porque faríamos ajustes desde as pequenas atitudes.

Nesta reflexão, gostaria que relembrar o seguinte: sempre existe escolhas, ou seja, um jeito só nosso de fazer as coisas. Tomamos por paradigma o seguinte: duas pessoas fisicamente e socialmente parecidas observando um pôr do sol, e elas externam tudo aquilo que lhes vem da alma. A primeira pessoa diz: olha que natureza maravilhosa, sou grato diariamente por estar viva para apreciar tamanha beleza! A outra, no entanto, que está ao lado da primeira e sob mesmo ângulo de observação do poente, arremata: que saco, mais um dia que termina e meus problemas continuam para amanhã.

Já disse em mais de uma oportunidade aqui no Blog, que sou empirista e racionalista: acredito na experimentação com observância da lógica, em primeiro lugar. Portanto, tudo que analisamos faz parte das vivências práticas que nasceram de escolhas livres e conscientes.

A questão de um milhão de dólares é respondida prontamente por todo aquele indivíduo que mergulhou dentro de si e despertou para o autoconhecimento. Sobretudo, ao agir com honestidade consigo e nunca culpando outrem por suas frustrações, por certo, esse perceberá que a maneira pela qual você vê o mundo depende só de si mesmo.

Portanto, a regra número um para evitarmos decepções, desilusões e frustrações, é nos tornando cada dia mais consciente das nossas escolhas, porque elas, são semelhantes às sementes lançadas num campo da vida e, se os frutos forem bons ou não, dependerá só de nós mesmos. Inclusive, não esqueçamos que as sementes são as nossas intenções e o solo os destinatários delas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.